Diferente 

O presidente da Câmara Municipal de Imperatriz e pré-candidato a prefeito, José Carlos Soares Barros, disse ontem em conversa com jornalistas e políticos que está sendo um político diferente. A observação foi a propósito do seu discurso durante a sessão, em que revelou o seu posicionamento em relação ao governo do estado, do qual antes vinha se mostrando um ferrenho defensor. Zé Carlos  falou em “diferente” após um blogueiro dizer que ele havia dito no discurso que é independente. O governo do estado tem pré-candidato a prefeito, o deputado Marco Aurélio, e Zé Carlos tem reafirmado que será candidato, com ou sem apoio de Flávio Dino, e a tendência é que daqui pra frente tenha comportamento neutro em relação ao Palácio dos Leões. Na opinião do vereador, o eleitor de Imperatriz não liga as obras do governo a candidatura de prefeito.  

E...

Outros vereadores “dinistas” também já começam a ter posicionamentos críticos ao governo do estado. Especialmente aqueles que estão propensos a acompanhar José Carlos na disputa pela Prefeitura. Cobranças que antes não eram feitas, já começam a aparecer. Ontem, Bebé Taxista (Patriota) foi duro com a Caema e cobrou água para o bairro Imigrantes.   

Entenda

Vereadores que integram a base do governo estadual em Imperatriz nunca fizeram qualquer objeção a nomeação de capelães. No ano passado, inclusive, houve uma “enxurrada” de nomeações. O Maranhão é o estado com maior número de capelães – cerca de 50. Nunca houve posicionamento contrário de nenhum dos vereadores “dinistas”. Mas na sessão de terça-feira, eles se manifestaram contra uma proposição do vereador João Silva pela implantação do serviço de capelania em repartições públicas do Município.   

Obras

Ontem o prefeito Assis Ramos participou de uma reunião na Superintendência da Caixa Econômica Federal, em São Luís. Ele tenta agilizar a entrega das casas do Residencial Canto da Serra e a  retomada das obras do PAC 2, na Grande Vila Nova.

Condenado

O ex-prefeito de São Vicente Ferrer, João Batista Freitas, foi condenado pelo TCE, ontem, a devolver aos cofres da prefeitura mais de R$ 26,4 milhões correspondentes a toda receita do município em 2012, da qual ele não prestou contas. O relator foi o conselheiro Jorge Pavão, que aplicou ainda multa de R$ 2,4 milhões, o equivalente a 10% do valor a ser ressarcido. De acordo com o conselheiro relator, em 2012 o ex-prefeito não apresentou sua prestação de contas ao TCE, tampouco conseguiu juntar comprovações de despesas para cada receita recebida quando uma equipe do TCE realizou análise in loco dos documentos disponibilizados.

Condenado II

 O ex-prefeito de São Vicente de Ferrer deixou de explicar gastos de R$ 9.286.962,17 da administração direta; R$ 624.175,00 do Fundo de Assistência Social (FUAS); R$ 6.907.818,00 do Fundo Municipal de Saúde (FMS) e R$ 9.647.905,00 do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Essas receitas totalizam R$ 26.466.862,07, valor a ser  devolvido pelo ex-gestor, além da multa de 10%. O ressarcimento e a multa devem ser pagos em até 15 dias após publicação da decisão do TCE. O relator recomendou ainda que João Freitas responda cível e criminalmente pela irregularidade, acompanhando o parecer da procuradora Flávia Gonzalez Leite do Ministério Público de Contas (MPC).

Aprovado 

A Câmara Municipal de Imperatriz aprovou na sessão de ontem a Lei Ordinária 25/2019, que dá ao novo calçadão o nome de Carlos Gomes de Amorim, médico e ex-prefeito. O projeto é de autoria do vereador Hamilton Miranda.